Dicas para sair do vermelho: quando a crise impulsiona

Dicas para você que procura por soluções para problemas financeiros. Veja como sair do vermelho e passar por uma crise financeira.

Como sair do vermelho? Veja dicas para sair do vermelho e enfrentar qualquer crise financeira

De acordo com o dicionário, a palavra crise está relacionada ao estado de desequilíbrio, de desajuste e de tensão. Não é novidade que quando se fala em crise, instantaneamente, as pessoas fecham os rostos. Ocorre que o senso comum conceitua este estado como algo negativo e sintomático de derrota.

Entender que o momento crítico permite a transformação e a reflexão de valores pode ser um tanto quanto difícil, mas precisamos ter em mente que a crise e a oportunidade caminham lado a lado.

Talvez seja complicado estabelecer um pensamento próspero, considerando o quadro econômico vivido no Brasil, mas aqui estabelecemos uma lista para lhe orientar nesse período conturbado. Vamos às dicas para sair do vermelho?

Treine o seu olhar

É preciso perceber as possibilidades que surgem. Reeduque o seu modo de perceber o mundo ao seu redor. Permita uma visão mais sensível e apurada sobre a vida que o cerca. Tente observar as coisas além do óbvio. Por exemplo, você já sabe que uma borracha serve para apagar. Mas, será que ela serve exclusivamente para isso?

Considere as suas particularidades

O desemprego deixa muita gente desesperada e confusa. Perguntas a respeito de qualificação, de destino profissional e de vocação tornam-se recorrentes nos pensamentos dos desempregados. É claro que não podemos negar o papel da autorreflexão, mas será que só refletir lhe ajudará nesse momento de incertezas? Se a resposta foi não, então comece a considerar os seus dons, as suas singularidades e as características que você julga serem únicas em ti.

De alguma forma, elas contribuirão para o seu sucesso.

Fique atento às oportunidades

Com a diminuição da oferta de empregos somada às exigências do mercado de trabalho, muitas pessoas foram condicionadas a pensar em abrir o próprio negócio.

Seguindo a visão dos estadunidenses que, desde cedo, são influenciados pela noção de empreendedorismo, você perceberá que não é impossível ser seu próprio patrão. É sempre bom ficar atento às tendências apontadas pelo mercado. Analise as chances que o mercado lhe oferece e invista no momento certo.

Vale lembrar que, ainda que o trabalho informal tenha crescido com a crise, os segmentos da recepção, do telemarketing, dos bares e dos restaurantes continuam oferecendo oportunidades de emprego. Em 2016, foram mais de 27 mil vagas abertas em todo o Brasil, de acordo com o site G1.

Invista em si mesmo

Use o intervalo de tempo entre último emprego e a nova contratação para se dedicar às atividades que não só beneficiem o intelecto, como também agreguem valor ao currículo profissional.

Esta é a hora de começar aquele tão sonhado curso que você sonhava em fazer, mas que não tinha tempo para se dedicar. Vale lembrar que há instituições que oferecem gratuitamente cursos técnicos e profissionalizantes. Há também ONGs que disponibilizam oficinas de pintura e de artesanato.

Caso você ainda não saiba por onde começar a sair do vermelho, um bom conselho é categorizar -pode ser em um papel mesmo- todos os problemas que assombram sua vida. Enumere todos os motivos que lhe tiram o sono e comece a pensar em estratégias para solucioná-los. Trace um objetivo e o fragmente em partes para que, dessa forma, você possa, progressivamente, sair da situação crítica.

Busque pelo apoio de um profissional

As dicas acima são de extrema importância para você que procura por soluções eficientes para problemas financeiros. Ler cada dica já é um grande avanço rumo ao futuro próspero. No entanto, vamos combinar que a ajuda de um profissional é sempre bem- vinda, não é mesmo? Conte um consultor financeiro, esse profissional lhe orientará da melhor maneira para que você saia do vermelho e, por que não, empreenda.

Veja também:

Sobre Matheus Gils

Publicitário por formação e jornalista por vivência. Amante dos anos 80/90 e noveleiro de plantão. Na vida, 50% são bons drinks e os outros 50 são séries, filmes e musicas.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: