Black Hat SEO: entenda o que é e por que não deve ser utilizado

Saiba o que é o Black Hat SEO, quais práticas não devem ser utilizadas e a diferença entre as práticas de White Hat.

O que é Black Hat SEO?

Desde a origem do Marketing Digital, as empresas e os negócios recorrem a diversas táticas de SEO para alavancarem suas páginas nos mecanismos de busca.

Nem todas as técnicas são honestas e éticas, por apenas visar o ranqueamento e a popularidade, desprezando a experiência do usuário e prejudicando os negócios.

Essas práticas antiéticas são chamadas de Black Hat SEO, usado diversas vezes para a obtenção de resultados em pouco tempo, porém a curto prazo.

Caso suspeite que uma página tenha algum indício de SEO negativo, denuncie preenchendo um relatório de spam e o enviando ao mecanismo de busca.

Black Hat x White Hat: qual é a diferença?

Os termos ‘black hat’ e ‘white hat’ derivam dos filmes de faroeste ou western, onde os vilões e os heróis usam o chapéu preto e o branco, respectivamente.

O White Hat SEO é um acervo de estratégias honestas e aceitáveis de ranqueamento de páginas que prezam a experiência do usuário com elas.

As técnicas deste tipo de SEO são a otimização e pesquisa de palavras-chave, a criação de um título, o mobile friendly, a utilização de links relevantes e o desenvolvimento de uma meta descrição.

Quais são as técnicas de SEO de chapéu preto?

As técnicas são:

  • Doorway Pages: Páginas que utilizam palavras-chave otimizadas apenas para garantirem o bom posicionamento, o usuário, ao acessá-las, é automaticamente redirecionado para outra com conteúdos maliciosos
  • Cloaking: Essa estratégia cria conteúdos chamativos somente para enviar os usuários para uma página diferente da apresentada, essa prática visa somente aumentar o tráfego e melhorar o posicionamento.
  • Link Wheels: Tática na qual uma estrutura composta de um site principal com outros sites criados somente para direcionarem o usuário ao mesmo e fazer com que os robôs indexem somente o principal.
  • Sneaky Redirects: Essa prática tem como objetivo fazer com que os sites de busca mostrem uma determinada página, por tanto, acabam se deparando com uma página diferente.
  • Link Farms: Sites com conteúdos somente com links direcionados a outras páginas, não tendo textos, imagens, vídeos, conteúdo interativo ou outros tipos de mídias
  • Unrelated Keywords: As palavras-chave utilizadas são relevantes, porém o conteúdo de uma página não condiz com elas. Elas variam entre nomes de famosos, memes e bordões da internet
  • Spam em comentários: Se trata da publicação repetitiva de links em fóruns, redes sociais, blogs, portais, sites e vídeos, tornando a experiência do usuário irritante
  • Conteúdo duplicado: A cópia de conteúdos de outros sites e a publicação desse tipo de cópia na internet viola as leis de direitos autorais
  • Links pagos: Opção feita tanto na esfera digital como na física. Pagar para um site ou blog colocar um link em seu conteúdo é reprovável para os mecanismos de busca
  • Keyword Stuffing: Estratégia mal-intencionada que consiste em repetir uma determinada palavra-chave de forma excessiva em uma página, piorando a qualidade do conteúdo e não garantindo o bom posicionamento nos resultados de pesquisa.

As plataformas de vendas online que melhor previnem SEO negativo

Com o aumento das fraudes e golpes no Marketing Digital, várias plataformas de vendas online aprimoraram suas ferramentas para a prevenção das práticas de SEO antiéticas.

Confira as plataformas de vendas online que melhor previnem e combatem o Black Hat SEO:

Cursos que ensinam fazer White Hat SEO

Além das dicas contidas nas próprias plataformas de vendas online acima, existem também vários cursos digitais ou presenciais sobre Marketing Digital que ensinam como posicionar sites e blogs com base em White Hat.

Veja abaixo os cursos de Marketing Digital com aulas sobre SEO inclusas:

  • Udemy: SEO e Marketing de Conteúdo

Conclusão

Criar um bom conteúdo e posicioná-lo nos primeiros resultados de pesquisa não é nada fácil e tentar facilitar esse processo com práticas de otimização desonestas não resolve a questão, além de gerar grandes prejuízos para os negócios e para quem cria conteúdo na web.

Se você deseja saber como melhorar seu site ou blog, confira o artigo Dicas de SEO: As que não podem faltar e o guia do Google.

Fontes e Referências

Sobre Bianca Grossi

Redatora apaixonada por idiomas e pela escrita. Conhecedora de Marketing de Conteúdo, SEO, Línguas Estrangeiras e Copywriting.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: