Como investir do zero: comece em 4 passos simples

Quer começar investir do zero mais não sabe por onde começar? Veja o passo a passo ensinando investir de maneira simples em 4 etapas.

Com a taxa de juros em níveis ainda muito abaixo do que o brasileiro está acostumado, os investimentos em renda variável se tornaram um dos assuntos mais buscados na internet. Muitas pessoas vêm enxergando principalmente ações e fundos imobiliários como uma ótima opção de aumentar sua rentabilidade.

Em dezembro de 2020, mais de 3 milhões de contas de pessoas físicas foram cadastradas na B3 (bolsa de valores brasileira). Se compararmos com o mesmo mês em 2019, vemos o crescimento gigantesco de investidores: apenas 1,6 milhões de contas.

Sabendo desse ‘boom’ que dá ainda mais vontade de investir e conhecendo os benefícios atingíveis através da renda variável, é preciso ainda percorrer um caminho antes de dar o primeiro passo para investir do zero.

O que é preciso saber antes de investir do zero

Primeiro de tudo, você precisa organizar suas finanças para estancar qualquer descontrole de gastos durante o mês. Para investir, é preciso de um aporte regular e você só conseguirá isso colocando a casa em ordem.

Já está com o planejamento em dia? Agora é hora de se livrar das dívidas. Dinheiro de investimento não é para saque imediato. Então, quite qualquer débito que você ainda possui.

Por fim, estude bastante antes de escolher o seu ativo. Quando você chegar neste estágio, é a hora de saber como investir do zero seguindo o passo a passo:

  1. Abra uma conta digital: não é preciso muita coisa para começar a investir além de foco, estudos e determinação. Você vai precisar ter uma conta ativa para transferir o dinheiro para a corretora. Dê preferência para bancos digitais, como o C6 Bank, que não cobra o valor do TED (Transferência Eletrônica Disponível).
  2. Encontre sua corretora: não há como investir sem uma mediadora chamada corretora. Elas são uma ponte entre o seu aporte e a Bolsa de Valores. Escolha corretoras que não cobram taxa de corretagem. Essa dica é fundamental para os iniciantes não perderem rentabilidade com gastos desnecessários. Exemplos de corretoras que não cobram taxa de corretagem: Rico, Guide Investimentos, Clear, Toro, Inter, entre outros.
  3. Poupe e transfira: investir do zero pode exigir uma mudança radical em seus hábitos. Primeiro, você precisa eliminar todas as suas dívidas. Aprenda a ganhar dinheiro com os juros e não perca mais dinheiro por causa deles. Após aprender isso, tente poupar no mínimo 10% do seu salário. Se não conseguir, guarde o quanto for possível. Transfira mensalmente o valor economizado para a sua corretora através da conta digital.
  4. Invista com consciência: estude bastante e escolha ativos com o seu perfil de investidor. No início, prefira investimentos de renda fixa, como o tesouro direto. O próximo passo é entrar na renda variável com opções menos voláteis como ETFs e Fundos Imobiliários. Após alguns meses, é hora de partir para o mercado de ações. Escolha inicialmente ativos de setores mais sólidos como elétrico, financeiro e de saneamento.

Conclusão

Investir não é aquele bicho papão que muitos falam. O mais difícil sempre é dar o primeiro passo. Após isso, o mais importante é não parar de estudar e buscar o conhecimento. O mundo dos investimentos se atualiza a toda hora e você precisa estar atento a isso.

Consuma regularmente notícias relevantes sobre o mercado financeiro e conheça novas alternativas para aumentar a sua rentabilidade. Para mais informações sobre investimentos, acompanhe o nosso portal e inscreva-se na newsletter.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: